sexta-feira, 24 de junho de 2011

Século XXI

Bem hoje vou dar a minha perspectiva generalizada sobre os principais acontecimentos e desenvolvimentos da nossa sociedade mundial durante o resto do século XXI.




Várias coisas vão acontecer de forma inevitável.

Uma delas será o colapso do sistema financeiro actual. É um sistema que simplesmente não é sustentável e muito menos auto-sustentável. O facto de se poder comprar e vender dinheiro - trocas cambiais e de acções/obrigações - é algo que mata o sistema. De forma análoga, é o mesmo do que num sistema primitivo sem moeda eu poder trocar arroz por cenouras, mas poder ao mesmo tempo trocar arroz carolino por arroz basmati apenas com o propósito de ganhar valor com isso ou influenciar o valor de cada um deles e até mesmo o das cenouras. Influencia todo o mercado financeiro e monetário de forma negativa (para os outros :P ). Significa também que quem tem poder para influenciar o "valor do dinheiro" - que simpaticamente é chamado de "mercado financeiro" - é quem ganha mais com isso, prejudicando todos os outros intervenientes no sistema económico.

Mas pior é o facto de todo o dinheiro surgir através de uma dívida. Quem é que injecta dinheiro no mercado? Os bancos. Logo, a partir do momento em que o dinheiro é fabricado ele entra em circulação em forma de empréstimo para quem o quiser, que por sua vez vai emprestá-lo de forma a cobrir essa dívida. Isto significa que todo o dinheiro em circulação provém de uma dívida. Sim até mesmo o salário de toda a gente. E a verdade é que não existe dinheiro suficiente em circulação em todo o mundo para pagar todas as dívidas existentes. É um facto. O sistema financeiro não é portanto sustentável - por esta e por outras razões - e vai inevitavelmente colapsar.
Claro que o dinheiro não pode entrar livremente em circulação, ele é apenas um objecto de troca e não pode surgir do nada. Tem que representar valor já criado. Mas mesmo que se decidisse fazer isso o próprio sistema encarrega-se de o desvalorizar devidamente. Mas isto só demonstra ainda mais que o sistema não é sustentável. Não podemos ter um sistema monetário em que a própria moeda é considerada um bem, que se pode comprar e vender, nem que não se pode "pagar a si próprio" se é que entendem a expressão.

Quando vai colapsar? Dentro de muito poucas décadas. E ou vai colapsar por si só, ou pela falta de um recurso indispensável ao equilíbrio bastante frágil do sistema económico mundial: o petróleo. Sim esse também vai acabar!



E o que é que vai acontecer ao mesmo tempo que esta derrocada financeira trágica? O crescente sobrepovoamento do nosso planeta. Já hoje, se todos os países subdesenvolvidos se tornassem desenvolvidos, não teríamos recursos suficientes para toda a população mundial. Não temos espaço nem recursos naturais suficientes e ainda vamos ter muito menos daqui a umas quantas décadas.
Ora já nem falando nos recursos "de luxo", todos os recursos básicos - alimentares e energéticos - vão subir exponencialmente de preço devido à sua enorme escassez e à sua enorme procura. Todos os países, incluindo os desenvolvidos, não vão ter capacidade de ter alimentos para a sua população! Muito menos outro tipo de recursos. Apenas os E.U.A. ou a China talvez conseguirão manter a sua sustentabilidade mínima... Um pouco aborrecido não é?


Outra coisa que irá acontecer: o desenvolvimento tecnológico



Segundo a Lei de Moore a capacidade dos processadores duplica a cada 18 meses. Isso tem-se confirmado. Os super-computadores actuais estão praticamente a alcançar a capacidade do nosso cérebro. Quando isso acontecer é uma questão de alguns pares de anos para a Inteligência Artificial igualar o ser humano. Teoricamente, se o ser humano consegue criar um ser digital ligeiramente mais inteligente que ele, esse ser conseguirá por sua vez criar um ser ainda mais inteligente que ele próprio, assistindo-se portanto a um crescimento muito rápido da inteligência digital.
Naturalmente conseguiremos transferir a nossa consciência, e portanto toda a nossa personalidade, para o nível digital. Eventualmente deixaremos de existir a nível biológico... mas isso já não é coisa para este século portanto deixemos para outra altura...


Conclusões sobre este conjunto de acontecimentos? Ficam para amanhã que o texto já vai longo e eu não quero maçar as pessoas! :D


Diogo Coelho

terça-feira, 21 de junho de 2011

Painéis de mensagem variáveis

Ora vou hoje falar de um tema extremamente importante para a sociedade e que claramente surge no seguimento do primeiro post. Os painéis de mensagens das auto-estradas.


Ora nem quero discutir muito a utilidade disto. Tirando uma situação que presenciei em que estava escrito no painel "Animal à solta a 3km" ou dizerem que há trânsito algures quando realmente há uma alternativa ainda possível, não vejo grandes vantagens nestas coisas, especialmente por estarem fixas.

Quando dizem essencialmente que "está a chover" ou que "morreram 89 pessoas no mesmo mês do ano passado" ou até mesmo "painel em teste" durante um ano inteiro (sim porque é difícil pôr aquilo a funcionar realmente!) eu cá para mim parece-me de utilidade nula...


... Mas!... o que me intriga mesmo é quando dizem, simplesmente, as horas que são! Ora bem... estamos em 2011... por muito velhinho que seja o carro - ou o condutor - algum deles terá um relógio ou um telemóvel não? Eu acho que sim. Além disso quem vai em viagem tem uma noção das horas que são. Se não tem é porque não lhe interessa...
Para o caso específico de o condutor se ter distraído com as horas e estar atrasado para algo, informá-lo sobre as horas só vai fazer com que ele vá mais depressa, não cumprindo portanto com o código da estrada. Ora não me parece muito útil que painéis informativos públicos numa auto-estrada contribuam para um incumprimento do código da estrada! Mas isto sou eu pronto.....

Anyway o quero dizer é que isto é estúpido!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

O meu blog

Ora a pedido de muitas famílias (vá... de duas ou três pessoas) inicia-se aqui a vida deste blog, e espero que sobreviva mais do que uma semana.

E começo logo com um vídeo do enorme George Carlin "I gave up on my species":


Exacto!....


..... mas, com a minha idade, ainda sou novo para desistir de mudar o mundo e portanto nada melhor que usar o único meio de comunicação livre - a Internet - para o fazer.
Para as 2 ou 3 pessoas que realmente vão ter paciência - ou sentir a obrigação - de seguir este blog, amanhã podem já contar com um post sobre um assunto sério, ou apenas com uma observação parva sobre o mundo que nos rodeia :D

Diogo Coelho